Martin Sugden, CEO da Boldon James, esteve no Brasil esta semana e alertou para o cumprimento da LGPD: “as empresas precisam saber que tipo de informação têm, se são armazenadas e como lidar com isso”.

Embora as organizações estejam cada vez mais preocupadas com a proteção de dados, muitas não possuem as ferramentas adequadas para proteger suas informações e não aplicam a classificação de dados a seus processos de coleta, processamento e tratamento de dados.

Os sistemas foram projetados para visualizar os dados como “pertencentes à empresa” e não ao “indivíduo que os compartilhava” com a organização. Com a chegada do GDPR e da LGPD, as organizações estão tendo que se adaptar à nova realidade.

Martin Sugden, CEO da Boldon James, esteve no Brasil esta semana para conversar clientes e parceiros locais e em um encontro com jornalistas, alertou para o cumprimento da LGPD: “As empresas precisam saber que tipo de informação têm, se é armazenado e como lidar com isso”.

De acordo com Sugden, “Depois de entender as informações que você tem e onde as informações são armazenadas, você pode tomar decisões sobre o nível de segurança a ser aplicado, quem pode acessá-las, caso seja criptografada ou anônima. A estratégia de segurança atual deve levar em conta que as regras de GDPR e LGPD são rígidas e que qualquer informação deve ser protegida onde quer que ela esteja, incluindo em dispositivos móveis, na cadeia de suprimentos ou com consultores”, comentou. “Os usuários precisam conhecer, entender e aplicar as políticas de segurança das organizações”, enfatizou.

Martin Sugden citou pesquisas recentes que apontam que pelo menos um terço dos executivos de TI afirmam que a segurança móvel é uma das maiores preocupações, especialmente porque práticas de trabalho modernas envolvendo dispositivos móveis, mídias sociais e BYOD, “o que facilita a perda ou o compartilhamento de dados”, afirmou ele.

De acordo com o CEO da Boldon James, as empresas de serviços financeiros relatam mais preocupações sobre segurança de dados, mas são elas que estão entre as empresas que mais investem em políticas e ferramentas de classificação de dados. Com o GDPR e LGPD, os investimentos das instituições bancárias e financeiras em segurança devem aumentar.

“Outras organizações devem seguir o mesmo caminho, para que possam proteger melhor seus dados vitais de negócios”, enfatiza Sugden, que trabalha há 30 anos no desenvolvimento de técnicas de classificação de dados. Ele é responsável por inúmeros projetos pioneiros de classificação de dados em grandes empresas em vários países.

A solução Boldon James permite que as etiquetas sejam filtradas para manipular, reter ou enviar documentos com segurança fora das organizações, seja para dispositivos móveis, parceiros ou clientes. Por exemplo, o executivo lembrou que no ano passado um USB foi encontrado em uma rua de Londres com 76 arquivos sobre a rota tomada pela rainha Elizabeth ao usar o aeroporto de Heathrow, incluindo o horário das patrulhas do aeroporto contra ações terroristas.

“Esses dados não devem ser baixados e devem ser criptografados. Um rótulo simples acionaria uma ferramenta de gerenciamento de direitos para impedir que isso acontecesse”, comentou.

“Você sabe o que é crítico em sua empresa? Se a tecnologia de classificação de dados fosse aplicada em conjunto com uma solução de prevenção de perda de dados ou gerenciamento de direitos, essa perda de dados sensível provavelmente teria acontecido”, disse Martin Sugden.

A Boldon James atua no Brasil através de uma rede de parceiros locais, incluindo Apura, Netconn e B & A – Brasiliano & Associados. Para a empresa brasileira deve considerar as oportunidades que a GDPR e LGPD oferecem para elevar o nível de segurança dos dados.

“Os parceiros locais podem ajudá-lo a fornecer uma solução abrangente para atender às suas demandas regulatórias”, destaca o executivo.

Quer adequar sua empresa ao LGPD e/ou GDRP? Conte com a Future! Clique aqui e entre em contato conosco.

Fonte: CryptoID.

Entre em contato conosco