Proteger arquivos que residem na nuvem é um desafio para as empresas hoje em dia. Para apoiar as organizações nessa tarefa, identificamos, por meio do Netskope Threat Research Labs, as principais ameaças na nuvem, para fornecermos uma série de dicas para proteção imediata.

De fato, a nuvem é um vetor de ataque relativamente novo para hackers e criadores de malware. Nesse contexto, as empresas buscam soluções de segurança que atenuem os pontos cegos na nuvem, incluindo a atividade realizada por acessos feitos fora da rede ou pela conexão de dispositivos pessoais.

Vírus, uma ameaça que permanece relevante

A conclusão da pesquisa aponta que o virus é o tipo de malware mais frequente nos dias de hoje e, com downloaders e Trojans, afeta usuários de negócios de diferentes setores (financeiro, varejo, saúde, construção ou tecnologias). Em suas mais diversas versões, o malware escolhe várias aplicações na nuvem, como o Google Drive, Box, Dropbox, entre outras, para se esconder.

Como resultado dessa tendência, e dado que esse tipo de malware busca se espalhar localmente por meio da análise de rede, os usuários corporativos podem optar por segmentar suas redes LAN para conter a disseminação de vírus. Da mesma forma, todos os downloads e compartilhamentos de arquivos devem ser suportados por mecanismos de identificação de ameaças, com capacidade de análise.

No entanto, é importante entender que mesmo os processos de segmentação mais rigorosos na rede de uma organização podem ser contornados pelo malware que percorre o cloud hopping (termo em inglês para a migração de dados em nuvens públicas e privadas).

O malware que infecta computadores pode persistir de forma indefinida em todos os sistemas de limpeza e infectar os colaboradores dentro da organização, apesar das redes segmentadas. Como resultado, as infecções se espalham para organizações associadas, impactando a responsabilidade e comprometendo a reputação da empresa.

O importante papel do usuário

Os usuários são os proprietários dos arquivos nos processos de carregamento e descarregamento na nuvem. Por esse motivo, e considerando que as aplicações de armazenamento em nuvem regularmente sincronizam os arquivos do local de trabalho do usuário, fica fácil realizar um download involuntário de malware da Internet na estação de trabalho.

Em casos como esse, a maioria das infecções provém de um pequeno número de usuários. A alta concentração de malware nesses assuntos pode ser uma consequência do uso de estações de trabalho sem patches ou da exposição frequente de redes desprotegidas. Tudo isso ressalta a necessidade de melhor aplicação das políticas de segurança nas organizações.

Para restringir a disseminação das infecções na nuvem, os usuários devem suspeitar do alcance das mesmas, enquanto os administradores de rede podem segmentar grupos de usuários para que o compartilhamento de arquivos entre eles seja limitado.

Para obter um resultado realmente efetivo, tanto usuários quanto organizações devem ter mais cuidado na maneira como compartilham arquivos, enquanto ainda precisam criar redes seguras para baixar conteúdo da nuvem, já que esses ataques direcionados, bem como os APTs, são capazes de comprometer as redes a partir de acessos involuntários a aplicações na nuvem.

Mantenha-se protegido! A Future é parceira dos maiores fabricantes de Soluções de Segurança, Disponibilidade e Performance do mundo! Preencha o formulário abaixo e entre em contato conosco.

Fonte: ComputerWorld.

Entre em contato conosco