A segurança da informação é um tema que tem preocupado bastante as empresas, e uma das razões consiste no crescente volume de incidentes relatados e na dificuldade enfrentada pelas corporações para combatê-los.

Se não houver um investimento relevante em soluções tecnológicas, capacitação da equipe e em conscientização dos funcionários, o risco de ser vítima destes incidentes é cada vez maior. Afinal, os métodos utilizados para roubar ou vazar informações institucionais ou pessoais estão cada vez mais ousados e sofisticados.

Neste artigo, vamos destacar pontos que devem ser levados em consideração para combater e minimizar a possibilidade de sofrer um ataque de dia zero. Confira!

O que é o ataque de dia zero?

Trata-se de um tipo de ataque virtual em que a vulnerabilidade explorada pelo atacante foi recentemente descoberta, e muitas vezes ainda não possui correção disponível (pacth). É comum que estas falhas sejam identificadas nos sistemas pelos próprios profissionais responsáveis por corrigi-las, mas algumas vezes são identificadas por cibercriminosos.

Logo, a expressão “dia zero” se refere ao fato de que a vulnerabilidade foi recentemente descoberta. Assim, pode ser explorada por pessoas mal-intencionadas, fazendo com que os desenvolvedores tenham a obrigação de solucionar o problema o mais rapidamente possível, e que as equipes atualizem seus sistemas com igual celeridade, evitando desta forma a exploração dessa vulnerabilidade.

Vale destacar que o ataque de dia zero pode abranger tanto softwares como hardwares.

Como funciona um ataque de dia zero?

Como já dito, este tipo de ataque tem como principal característica o fato de os cibercriminosos explorarem vulnerabilidades recentemente descobertas, reduzindo a possibilidade de defesa.

Não é fácil descobrir uma vulnerabilidade de dia zero, pois ela pode estar relacionada a problemas com armazenamento de credenciais de acesso, algoritmos danificados, entre outros, mas a indústria do cibercrime direciona seu foco para tal, pois sabem que a exploração deste tipo de falha aumenta sua chance de sucesso.

Por outro lado, é igualmente difícil identificar um ataque deste tipo, uma vez que o sistema desprotegido não está preparado para reconhecê-lo. Ainda assim, é possível identificá-lo por meio da constatação de um aumento expressivo no tráfego de dados, do consumo de processamento, uso de memória, entre outros. Outra maneira de constatar esse ataque consiste em uma verificação suspeita com origem em um determinado serviço ou cliente.

Também é muito importante ter conhecimento sobre as ameaças que podem ser responsáveis por esse tipo de ataque, bem como dos motivos para realizá-los. Pensando nisso, vamos descrever algumas destas ameaças. Acompanhe!

Cibercriminosos

Nesse caso, a principal motivação é enriquecer de forma ilícita. Em outras palavras, a meta é ganhar dinheiro a partir do cibercrime, explorando as falhas que não foram identificadas antecipadamente pelos desenvolvedores. Lamentavelmente, é uma situação que tem se tornado comum no mundo digital.

Espionagem corporativa

É comum que as companhias busquem informações sobre os concorrentes para agregar valor aos seus serviços, em busca de um rendimento acima das expectativas. A maioria delas utiliza métodos legais, como o benchmarking, mas infelizmente nem todas as empresas optam por um caminho adequado, o que favorece o fortalecimento da espionagem corporativa, que pode utilizar um ataque de dia zero como ferramenta.

Guerra virtual

Algumas nações também são acusadas de explorar falhas desconhecidas para promover ataques cibernéticos. Com o avanço tecnológico tendo um peso cada vez maior, tanto na economia quanto no dia a dia de empresas e pessoas, o foco em obter dados estratégicos e acessos a sistemas de maneira fraudulenta tem sido cada vez maior por parte de países ou atores políticos.

Hacktivistas

Ao contrário de outros responsáveis por ataques de dia zero, os hacktivistas se caracterizam por realizar essa iniciativa por uma causa social. Isso pode envolver situações relacionadas com a proteção ao meio ambiente, o combate ao racismo, a defesa dos direitos humanos em diferentes partes do mundo, entre outros.

Quais são os principais alvos dos ataques de dia zero?

Além dos responsáveis por essa modalidade de ataque, é recomendado ter um conhecimento sobre as soluções tecnológicas que podem ser vítimas dessa prática.

Em geral, os cibercriminosos são capazes de encontrar falhas desconhecidas pelos desenvolvedores em sistemas operacionais, navegadores da Web, aplicativos do Office, entre outros.

O ataque de dia zero também pode ser realizado em dispositivos IoT (Internet das Coisas), componentes de código aberto em hardwares e firmwares. Sem dúvida, isso mostra como essa ameaça virtual tem capacidade de atingir pessoas e empresas de maneira bastante impactante.

Quais são os riscos dos ataques de dia zero?

Fazem parte dos prejuízos causados por esse tipo ataque as perdas financeiras, sejam diretas ou indiretas, e de credibilidade. É muito ruim para uma instituição, independentemente do segmento em que atua, estar vinculada a condutas inadequadas no cuidado com as informações dos stakeholders.

Também é válido ressaltar que um ataque de dia zero pode levar muito tempo para ser identificado (dias, semanas, meses e até anos). Ou seja, é um problema que pode prejudicar o desempenho corporativo de forma prolongada. Dependendo da situação, reverter o dano pode ser inviável, fazendo com que a empresa seja obrigada a fechar as portas.

À medida que as dificuldades para identificar uma falha são maiores, o risco e as perdas provocadas por esse tipo de ataque são mais expressivos. Esse aspecto mostra como é fundamental investir em segurança da informação de forma estratégica.

Como evitar um ataque de dia zero

Há diversos procedimentos para evitar que uma organização seja vítima deste tipo de ataque.

Como primeiro passo, deve-se reduzir o uso de softwares (sistemas operacionais, aplicativos, bancos de dados, etc) apenas àqueles que realmente sejam necessários para a corporação, reduzindo desta forma a superfície de ataque.

Outra ação de baixo custo e alto impacto positivo é a definição e implantação de um plano de conscientização que abranja todos os colaboradores da organização, sejam eles funcionários, terceiros ou parceiros.

Posteriormente, deve-se garantir a atualização periódica dos sistemas operacionais e dos demais softwares, bem como a implantação de um processo completo de Gestão de Vulnerabilidades.

Para tratar sistemas legados e aqueles que não podem ter seus sistemas alterados de forma frequente, soluções de blindagem ou pacth virtual ajudam na mitigação do risco.

Por último, a adoção de firewalls de nova geração, antimalwares avançados, incluindo mecanismos de detecção e resposta, soluções de proteção web e antispam são outras ações essenciais para minimizar os riscos.

Saiba mais sobre ataque de dia zero com a Future

Para manter as informações devidamente protegidas, a melhor alternativa é contar com um parceiro que ajude a adotar bons procedimentos e soluções avançadas de segurança.

Por isso, é válido conhecer o trabalho da Future, que, através de sua solução para Gestão de Ameaças, ajuda seus clientes a identificar e responder rapidamente eventuais falhas de segurança, reduzindo bastante a probabilidade de um ataque dia zero.

Se está em busca de expandir o nível de segurança da informação do seu negócio, entre em contato conosco agora mesmo. Estamos à disposição para te ajudar a conseguir um desempenho cada vez melhor!