A evolução da área de Tecnologia da Informação é inegável e, em alguns momentos, fica difícil acompanhar todas as mudanças a tempo. Ambientes legados são verdadeiros exemplos desse paradoxo de novo versus antigo. Muitas empresas ainda contam com esse tipo de sistema e, aqui, vamos falar da importância de manter esses ambientes seguros.

O que são ambientes legados?

O ambiente legado, também conhecido como sistema legado, é uma espécie de jargão de TI e refere-se aos sistemas antigos e que muitas vezes não podem ser alterados por conter dados e informações cruciais para o funcionamento de uma organização. Eles são difíceis de substituir ou modernizar porque os riscos são altos e o investimento necessário para uma modernização muitas vezes é inviável.

Não é incomum que um ambiente legado seja um sistema grande em tamanho e complexidade, que roda em plataformas obsoletas. E isso faz com que o custo de modernização aumente.

Para ser caracterizado como um ambiente legado, o sistema precisa ser usado e considerado essencial para o negócio, tornando impossível abandoná-lo, mesmo depois de muito tempo.

Outro ponto importante é a dificuldade de manutenção desses sistemas, pois muitas vezes, seus desenvolvedores originais já não estão na mesma empresa e é difícil encontrar quem consiga fazer correções.

Quando manter ou migrar

Apesar de cruciais para seu funcionamento, manter um ambiente legado em uma organização pode ser sinônimo de problemas de segurança, uma vez que sua tecnologia se torna obsoleta e encontra problemas de compatibilidade e estabilidade com tecnologias mais recentes de segurança da informação, além do comum encerramento de suporte para estes sistemas por parte de suas desenvolvedoras, o que impede que eventuais novas falhas descobertas sejam corrigidas.

Porém, se a opção da empresa é incluir novas tecnologias ou atualizar um ambiente legado, a segurança dos dados fica comprometida por outros fatores, como o risco de perda ou roubo das informações ou também arquivos que podem ser corrompidos durante o processo.

Muitas vezes, ainda que correndo riscos, é necessário que a transição seja feita, e isso ocorre por diversos motivos: corte de gastos, otimização de processos e para ficar em dia com leis regulatórias. É nessa hora que surge a dúvida de quando é o momento certo para realizar a migração.

O primeiro fator importante é que a migração não deve ser feita de forma apressada. Como se trata de um sistema que muitas vezes tem um valor inestimável para o negócio, é necessário construir um sólido planejamento, e manter a priorização de regras claras para que não haja impacto nas atividades de rotina.

A migração do que são chamados de “dados históricos” requer um trabalho minucioso da gestão do projeto, sendo a própria migração mais importante que o sistema novo que pretende substituir o ambiente legado.

Seja qual for a escolha feita para um ambiente legado, existem riscos tanto em mantê-lo como em realizar a modernização. Em ambos os casos a proteção de dados precisa ser considerada e levada a sério, com uma política rígida de gestão de riscos para proteger as informações da empresa.

Protegendo os dados no ambiente legado

Quando o assunto é sistema legado, muitas vezes há uma minimização na necessidade de segurança, já que o pensamento é de que aquilo já foi pago e não precisa estar protegido. Além desse descaso, muitas vezes esses ambientes ficam fora do alcance de auditorias.

Tais descuidos podem acarretar em fraudes e roubos de dados, pois frequentemente os invasores se aproveitam de sistemas vulneráveis que usam tecnologias ultrapassadas. Esses ataques geram perdas financeiras e de informações estratégicas, o que pode abalar a gestão da empresa, sua confiabilidade e a continuidade do negócio.

Blindagem dos sistemas

Se a corporação decidir manter o ambiente legado por mais tempo, uma opção de segurança é investir em blindagem virtual, também chamada de virtual patching. Esse recurso corrige falhas de vulnerabilidade e pode ser implementado rapidamente. Através de agentes virtuais instalados nos computadores, é possível examinar a comunicação entre as máquinas e detectar anormalidades facilmente.

Autenticação multifator

Essa ferramenta oferece uma possibilidade extra de bloqueio de invasores em redes ou sistemas. Através da solicitação tradicional de usuário e senha, o usuário precisa confirmar sua identidade duas vezes e, com isso, um ciberataque perderia força ao ter que lidar com mais barreiras no acesso.

Gestão de acessos

Usar essa tecnologia possibilita a restrição do acesso de usuários através de parâmetros. Assim, colaboradores de diferentes patamares na hierarquia têm acesso somente às informações que precisam e os dados da organização não ficam expostos para todo usuário do sistema.

Serviços gerenciados de segurança

Também conhecido como MSS, esse tipo de serviço garante a configuração dos sistemas de acordo com as melhores práticas de mercado e a identificar falhas e ameaças. Se algo fora do comum é detectado, acaba bloqueado no mesmo momento em que se manifesta.

Um Serviço Gerenciado de Segurança pode ser guiado pela equipe interna da empresa ou por parceiros especializados em Segurança da Informação.

A Future te auxilia na proteção de seu ambiente legado

Ao saber da importância em manter um ambiente legado seguro, fica difícil não pensar em soluções imediatas para esse problema. A Future, com seu centro avançado de inteligência, o SIC (Security Intelligence Center), investe constantemente em tecnologia e em profissionais especializados.

Tudo isso é feito pensando na ação proativa que antecipa ameaças e age de forma preventiva antes mesmo que os ambientes sejam invadidos. Toda a infraestrutura é elaborada para que o monitoramento seja feito de forma constante, sem interrupções.

A Future está aberta para esclarecer todas as suas dúvidas e evidenciar todas as funcionalidades do SIC. Nosso time é altamente capacitado e certificado em gestão e segurança.

Contate um dos nossos especialistas e descubra tudo que a Future pode oferecer para a sua empresa proteger o ambiente legado da melhor maneira possível.